Mitos Gregos – Principais seres mitológicos gregos – Nomes

Os mitos gregos contam a história dos deuses, heróis e criaturas fantásticas da mitologia. Conheça a seguir os principais mitos, suas origens e características.

Gaia-e-Urano

Urano e Gaia (Céu e Terra) – o início de tudo

Antes que existisse o mar, a terra e o céu que tudo cobre, a natureza apresentava em todo o universo um aspecto único. Era o Caos, imensidão vazia, indescritível, um abismo sem fim, anterior à constituição do mundo, mas dotada de energia prolífera. Só havia no espaço medonho um ovo gigantesco.

Por fim, como sucede aos ovos longamente chocados, esse ovo se fendeu e dele saiu um gênio alado, que soergueu a parte de cima da casca e calcou a outra aos pés. Assim nasceram os mitos gregos Urano (Céu) e Gaia (Terra). Esse gênio, que veio ao mundo antes de todos os outros seres vivos, era Eros (Amor), a força do desejo.

O mito sobre o surgimento da Terra

Depois que o Céu e a Terra surgiram do nada, apareceram monstros sem freio nem medida: montanhas enormes, oceanos turbulentos, astros inflamados que se puseram logo em movimento.

Os continentes não tinham limites bem-precisos, os rios saíam frequentemente de seu leito e devastavam as planícies. O Sol, ainda sem curso regular, estava suficientemente longe da terra para não incendiá-la, mas perto o bastante para aquecê-la e fazer com que as sementes germinassem.

Gaia
Gaia

Foram necessários séculos sem conta, e muita luta, para que essas forças aprendessem a disciplinar-se. Do Caos nascem os mitos gregos Érebo (Trevas) e a Nix (Noite), que concebem por sua vez, o Éter, a luz do céu, e Hemera, a luz do dia. Gaia (Terra) gerou por si própria, sem a fecundação de qualquer macho, altas Montanhas e o Ponto.

Surge o mar

Como lugar de encontro entre o céu e a terra, a montanha é a residência dos mitos gregos e o terreno da ascensão humana. O Ponto é a personificação masculina do mar: é o mar como caminho, o mar dos navegantes, com as suas ondas perigosas e os seus abismos profundos.

Daí ser o mar simultaneamente a imagem da vida e da morte. A primeira fase da cosmogonia termina aqui, uma vez que todos os elementos primordiais do Cosmo estão criados: a Terra, o Céu, o Mar. Mais tarde, Urano (Céu) se une a Gaia (Terra). Urano é o princípio masculino, o deus do céu; Gaia, a deusa feminina da fertilidade e da terra.

Mitos gregos gerados por Urano e Gaia

Surgiram da união física de Urano e Gaia os primeiros mitos gregos. Nasceram inicialmente os seis Titãs (Oceano, Ceos, Crio, Hiperião, Jápeto e Crono) e depois as seis Titânidas (Téia, Réia, Mnemósine, Febe, Tétis e Têmis). São pela maior parte, deificações de aspectos da natureza, mas só têm importância por causa de sua progênie, já que poucos assumem significado por si mesmos.

titã-oceano

O mais velho dos Titãs era Oceano, encarregado da imensa extensão de água que rodeia a Terra como uma muralha protetora. Como divindade, é o pai dos rios. Representa o poder masculino, assim como Tétis, sua irmã e esposa, simboliza a fecundidade das águas. Oceano e Tétis geraram numerosa prole, mais de três mil rios e quarenta e uma Oceânidas. Os espíritos de rios, águas e fontes, alguns com nomes e personalidades mitológicas.

O Sol, a Lua e Aurora

O titã Hiperíão é um dos mais famosos mitos gregos conhecido como o deus solar, mais importante que sua irmã e esposa, Téia. Ambos geraram Hélio (Sol), Selene (Lua), e Eos (Aurora). Hélio, como o pai, é um deus solar. A duplicação de divindades é comum no esquema primitivo e elas podem existir lado a lado ou confundir-se.

Com frequência, a geração mais nova prevalece sobre a anterior e usurpa seu poder. O deus-sol reside no Leste, cruza a abóbada do céu com sua parelha de cavalos e mergulha, a Oeste, na corrente do Oceano que circunda a terra para em seguida regressar a Leste.

A lei e a memória do universo

Os Titãs Ceos, Crio e Jápeto figuram sobretudo como ancestrais de mitos gregos divinos e raças posteriores. Ceos casou-se com a irmã Febe e tomou-se por sua filha Leto avô de Ártemis, e Apolo. Crio uniu-se à filha de Ponto, Euribria, e concebeu Astreu, Palante e Persis. Jápeto, que se casou com a sobrinha Clímene, teve quatro filhos: Atlas, Menécio, Prometeu e Epimeteu.

Duas outras Titânidas ficaram sem companhia, Têmis e Mnemósine, isto é, a Lei e a Memória. E ficaram sem companhia porque se bastavam a si mesmas.

Têmis

temis

Têmis é a Ordem, o Equilíbrio, eternamente imóvel acima de tudo o que existe. Graças a ela é que as forças primordiais aprenderam a disciplina, condição do que é vivo e permanente.

Mnemósine

Mnemósine

Mnemósine é o Poder do Espírito: conserva a Lembrança e liberta o mundo da tirania do instante. Os bardos gregos descobriram, desde cedo, que uma criatura só é verdadeiramente livre quando escapa aos impulsos que a arrastam qual pluma ao vento. Um universo sem memória é um universo que ignora a própria existência.

Mitos gregos gerados pela Terra e o Céu

Entre os Titãs e Títânidas, o casal mais importante, e também o mais jovem, é o constituído por Cronos e Réia. A eles remonta a linhagem dos mitos gregos que, mais tarde, se apossarão do Universo.

Os Titãs e as Titânidas não são os únicos filhos da Terra e do Céu. Eles geraram outros demônios, como os Ciclopes uranianos (assim chamados por serem filhos do Céu Urano e para se distinguirem de outros Ciclopes, pastores enormes da Sicília), conhecidos como seres monstruosos com um olho só no meio da testa.

Gênios da tempestade, os três mais antigos são chamados Brontes (o trovão), Estérope (o relâmpago), e Argés (o raio).

Ciclopes, os ferreiros dos deuses gregos

Dizia-se que fabricavam os “raios” para os deuses gregos, pois, naqueles tempos recuados, os homens imaginavam que os coriscos eram armas desferidas do alto sobre eles.

ciclopes

Representavam-nos ora sob forma de machado de pedra ou bronze, cortante e pesado, ora de dardo agudo, parecido aos que usavam na guerra e na caça. Arges, Estérope e Brontes eram, portanto, “ferreiros”, armeiros divinos que trabalhavam em oficinas monstruosas nas entranhas da Terra, em Lemnos, na Sidiia ou nas ilhas Lípari, isto é, em países vulcânicos.

Hecatônquiros

Além dos Ciclopes, Gaia e Urano (a Terra e o Céu) geraram outros três monstros, dotados cada qual de cem braços e cinquenta cabeças, os Hecatônquiros. Eram de elevada estatura e grande corpulência. Tais mitos gregos chamavam-se Coto, Giges e Briaréu. Mais tarde, nasceram ainda da Terra (Gaia) os Gigantes, enormes, muito fortes e violentos.

Nomes dos principais mitos gregos

Entre deuses, criaturas, lendas e heróis, são incontáveis histórias. Entretanto, apresentaremos os nomes dos principais mitos gregos:

 

Continue aprendendo sobre MITOLOGIA E ARTE

Gostou de aprender sobre os principais mitos gregos? Compartilhe!