Andrômeda – Princesa da Mitologia Grega

Andrômeda – Princesa da Mitologia Grega

Na mitologia grega, Andrômeda foi uma princesa da Etiópia, filha do rei Cefeu e de Cassiopéia, causa involuntária de sua desdita. Conheça a seguir, o mito grego de Andrômeda e Perseu.

Perseu chega à Etiópia

Após o combate com a Medusa, Perseu atravessou a Etiópia a fim de regressar a Sérifo. Lá, viu-se em presença de um estranho espetáculo: Andrômeda, uma jovem de grande beleza, estava acorrentada a um rochedo, na beira do mar.

A certa distância, postava-se uma multidão silenciosa, no meio da qual se viam um homem e uma mulher em trajes de luto. Todos pareciam aguardar alguma coisa. Andrômeda, acorrentada, evidentemente já chorara muito, mas agora parecia abatida, incapaz de um gesto sequer.

Perseu, librando-se nos ares graças às sandálias aladas, avistou uma espécie de redemoinho sob as ondas; súbito, um dorso negro, escamoso, seguido de um coleante pescoço de serpente, rematado por uma cabeça horrenda e de olhar cruel, emergiu do mar.

O herói grego vai ao socorro de Andrômeda

O monstro, percebendo de longe Andrômeda acorrentada como uma prisioneira, começou a avançar em sua direção; a cabeça balançava de modo hediondo, mas os olhos não se desviavam dela por um instante. Um soluço veio quebrar o silêncio da multidão. Instintivamente, alguns espectadores voltavam as costas à terrível cena.

Então, com um gesto brusco, Perseu sacou do alforje a cabeça de Medusa e, qual ave de rapina, precipitou-se para o monstro. Este o percebeu, talvez pela sombra que projetava na Terra. As pessoas que aguardavam a distância soltaram um grito.

andrômeda-deusa

Agora Perseu revoava sobre a besta, que estacara: não passava já de um rochedo, pois a cabeça de Medusa, mesmo cortada, conservava seu poder misterioso e transformara em pedra a fera do mar.

Afastado o perigo, o herói voou a socorrer a jovem Andrômeda, que desmaiara de pavor. Tomou-a nos braços, enquanto a multidão, que acorrera, despedaçava as correntes. E foi ali mesmo, em meio a transportes de alegria, que se inteirou de toda a história.

Por que Andrômeda estava ali acorrentada?

Um dia, Cassiopéia pretendera que a filha superava em beleza qualquer das Nereidas. Essas ninfas marinhas, afrontadas, pediram vingança a Poseidon – o qual, complacentemente, enviara um monstro a devastar o reino de Cefeu.

A fera tinha o costume de irromper sem aviso das ondas e arrebatar todos os seres vivos que encontrava na praia. Cefeu consultou o oráculo e soube que o flagelo cessaria caso Andrômeda fosse entregue à sanha do monstro.

O rei quis esconder do povo a resposta do oráculo, mas os etíopes acabaram descobrindo a verdade e impuseram-lhe esse horrível sacrifício. Agora, porém, graças a Perseu, tudo estava resolvido.

Andrômeda e Perseu

Em sua alegria, o rei ofereceu ao herói a mão daquela que lhe devia a vida; e Perseu, que se comovera bastante com as desgraças da bela Andrômeda, não se fez de rogado. Ficou por algum tempo no país, como hóspede do sogro, e desatou mesmo uma conspiração tramada contra ele pelo tio de Andrômeda, que de há muito tencionava desposar a sobrinha.

O método de Perseu era simples: consistia em mostrar aos inimigos a cabeça de Medusa, que a todos transformava em estátuas de pedra. Depois disso, acompanhado de Andrômeda, tomou o rumo de Sérifo.

 

Continue aprendendo sobre MITOLOGIA E ARTE

Gostou desse mito grego? Compartilhe!

Deixe um comentário